25 junho 2011

Tentando encontrar

Eu sempre odiei palavras prontas, são ridículas. Mas todas as palavras se tornam prontas no embalar de sua criação, então, hoje, vou encher isso aqui de palavras prontas.. de frases feitas. Porque para serem prontas, todas as frases e palavras tem que ser feitas. É ser feito para se tornar feito.

E é assim que você é pra mim hoje. Você foi feito para se tornar feito. Entende?
Você foi feito para se tornar uma frase feita somente pra mim. E eu fui feita pra ser entendida por você.

Eu ando meio dopada. Eu ando fazendo tudo meio certo, e na maioria das vezes estou acertando em tudo o que faço. Isso não é muito normal, já que o desastrado faz parte do meu ser, sempre fez. Eu realmente tenho o dom de desconfiar quando tudo está dando certo, talvez porque tudo já deu muito mal algum dia.

Insisto em todo final de dia em juntar as minhas mãos e perguntar pro Deus que eu acredito como foi possível encontrá-lo. Insisto e re-insisto. Se é que existe essa palavra.. Re-insistir, já que insistir deriva de algo que já foi insistido uma vez. Mas é isso. Ainda assim Re-insisto, e pergunto. 'Deus, será que isso tá certo mesmo?'. Será? Ah! Mas eu posso quase ver a luz da certeza me falando que é verdade sim.

Sabe, talvez eu precise de verdade parar de questionar e começar a viver. Acreditar que sim.. as coisas e as pessoas podem ser verdade. E acho que querendo ou não, já comecei a acreditar que você é isso: A minha única verdade; A minha única certeza.

Eu tô tentando encontrar uma resposta pra esse caso sobrenatural. Mas vou contar a história pra vocês: 'Eu andava muito triste, muito mesmo. Tinha deixado de acreditar em anjo, em céu, em milagre, em tudo. Mesmo tudo sendo muito, porque é simplesmente tudo. Eu joguei tudo pra cima, e a fraqueza caiu por cima das minhas costas, eu estava até no chão.. e alí mesmo adormeci. Sempre gostei da noite, e foi em uma noite que apareceu um anjo pra mim, eu não sei se ele estava me esperando mesmo, mas ele veio pra me proteger. E é curioso que, ele estendeu a sua mão pra mim e desde quando aceitei segurá-la, ele nunca mais soltou. Ele sempre me lembra que nunca vai me deixar cair, em hipótese alguma. E de uma forma delicada, eu acredito nele profundamente. Eu sou totalmente apaixonada pelo seu riso, ele me fez acreditar em tudo novamente, e depois dele, eu vejo que tudo faz sentido.'

Existe alguém que saiba me explicar isso? Algum de vocês já quizeram tanto uma pessoa á ponto de fazer qualquer coisa pra ver ela rindo somente pelo seu prazer.. Digo.. o prazer de vê-la sorrindo.

Tentando encontrar todas essas respostas. Alguém que tenha uma história igual essa.
Preciso mudar um pouco, e vou fazer isso. Eu dou tudo em troca desse anjo eternamente ao meu lado, porque nenhum sentimento do mundo explica tudo isso.. Essa história, essa virada. Essa felicidade.. Essa falta do que escrever. Esse desejo todo. Não há quem explique.

E é por isso que continuo tentando encontrar..

17 junho 2011

É engraçado. Obrigada a vida.

Hoje eu vim fazer um relato, depois de um tempo, pra comprovar que de nada vale nossas promessas, se não esperamos o tempo passar.
Para dar entendimento ao título.. É engraçado como a vida faz das melhores pegadinhas com a gente, né? Eu sempre achei que era forte e resistente á qualquer tipo de dor, e só porque eu achei que era.. Eu fui. Eu sim fui forte, aguentei por muito tempo de peito aberto todo tipo de obstáculo que viesse bater em mim, e por muitas vezes deixei me abater, me deixei vencer, me deixei cair.
É até engraçado falar das minhas dores, porque elas são engraçadas quando passam, quando deixem de doer. Eu só sentia dor, não amor, não alegria, não á tudo que fosse bom pra mim.
E desse jeito, dolorida, sem me avisar, a vida também achou que era engraçado tudo o que passei, e quando ela se cansou de rir de mim, me deixou ser feliz um pouquinho.
É engraçado que hoje eu sinto uma coisa que nunca senti antes, de verdade, eu tenho a pessoa que eu mais amo ao meu lado.. sem distância, sem complicações, sem obstáculos, sem nada, só um sorriso e um abraço. Eu poderia estar na beira de um abismo nos braços dele que não me importaria, apesar do meu medo de altura, eu só fecharia os meus olhos e até adormeceria, porque sei que ele nunca vai me deixar cair. Eu já aprendi que com ele, eu nunca vou cair.
Olha, eu acho que já disse tudo o que podia dizer, mas quero sempre dizer mais, porque o que digo por dia, por hora, por minuto, segundo, nunca vai ser o suficiente pra mim, e pra ele.
Eu não sei se a vida lê blogs, mas eu queria agradeçer por tudo o que ela fez, e por ter me dado no final, esse presente, que veio do jeito que eu exatamente queria, sempre pedi, muito obrigada.
Entendeu o porque de vida? Esse nome tem um significado único que eu separei pra você. Porque você foi o melhor presente que a vida me deu. E com você a vida tem sentido, então, você é a minha vida.
(...)

02 junho 2011

XXI

"Cativar" é uma coisa muito esquecida.. significa "criar laços..."
- Criar laços?
- Exatamente. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
- Começo a compreender, disse o principezinho. Existe uma flor... eu creio que ela me cativou...
- É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
- Oh! não foi na Terra, disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
- Num outro planeta?
- Sim.
- Há caçadores nesse planeta?
- Não.
- Que bom! E galinhas?
- Também não.
- Nada é perfeito, suspirou a raposa.
Mas a raposa voltou à sua idéia.
- Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra.
O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...
A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
- Por favor... cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer alguma coisa. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
No dia seguinte o principezinho voltou.
- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração.


— O pequeno Príncipe.