19 setembro 2012

Fotografia: Uma linguagem milenar.

Brincando com o foco na janela do quarto da minha mãe.

Inaugurando a tag falando sobre a minha maior paixão: A fotografia (As outras paixões eu consigo colocar dentro dela).


Desde pequenininha minha mãe me perseguia com a câmera dela pra lá e pra cá. Fotografou praticamente a minha fase toda até os 13/14 anos. Quando eu tinha 4 aninhos, meu pai me presenteou com uma Kodak daquelas de filme. Lembra? Eu ficava louca pra revelar!

Naquela época não era muito comum o auto-retrato, e eu não fazia ideia também, só achava o máximo bater fotos de qualquer coisa: Das plantinhas, do céu, das formiguinhas, da mamãe na janela, do papai chegando do trabalho, dos meus pombinhos de estimação, do primeiro dente de leite que caiu, da televisão quando estava passando o clip de uma música que eu gostava (já que naquela época não podia pesquisar na internet e descobrir a banda, tinha que esperar o dia em que ela iria passar na TV novamente para ouvi-la), da minha prima mais velha e bonita (...) E assim, nessa humilde brincadeira de capturar momentos, eu gastei um rolo de 36 fotos em menos de uma semana. Minha mãe simplesmente pirou, pois desperdiçar um rolo de filme era um crime na época. As fotos foram reveladas e guardadas na casa da minha avó, que amou todas elas... na verdade, vó ama tudo em neto, né? Então acho que nem estavam tão bonitas assim.

Enfim, eu perdi o meu presentinho, e quem passou a ter posse da minha Kodak foi a minha mãe, que fotografava os meus momentos de forma correta e mais econômica. Eu continuei amando aqueles dias em que ia com ela até a loja fazer a revelação dos filmes e aguardar uma hora ansiosamente para vê-las, e também era apaixonada pelos negativos (os usava para ver eclipses lunares).

Em 2007, eu tinha de 12 para 13 anos, então meu pai não resistiu e (depois de muita encheção de saco) me presenteou com uma Samsung S760 de apenas 7.2 MP e zoom de 6.3, e acreditem: foi quase como ficar sem ver uma pessoa que gosto muito durante uns 7 anos e reencontrá-la. Foi mágico ter outra câmera, por mais simples que fosse. Então passei um tempo com ela e criei o meu primeiro flickr, que infelizmente já não tenho mais o link disponível. Depois de um tempo, eu quebrei a lente da câmera.

Quem curte fotografia com certeza já ouviu falar ou tem uma conta no flickr. E foi lá que conheci o lado mágico da fotografia no mundo todo, e peguei principalmente a essência de uma fotografia, a mensagem que devemos passar através dela. Vale a pena dar uma espiada e passear peloflickr, é de encantar qualquer um.

De 2007 pra 2012 muitas coisas mudaram, eu mudei. Olhem só, agora sou (quase) gente grande, trabalho e estudo, cheia de responsabilidade, mas, a fotografia não deixou de me acompanhar e tenho milhares... sim, milhares de fotos, atualmente: Cada uma representa uma fase em minha vida, é como se fosse uma linha do tempo em fotos, e é sempre bom recordar.

Dei uma volta pela minha cidade no final de semana e fiz algumas aquisições (assim que possível compartilharei aqui), e uma delas foi minha Nikon L120! Ela é bem manual, porém, excelente pra quem quer começar a mergulhar de verdade no mundo fotográfico.



Mais um item da minha wishlist riscado, só falta a Diana, Sardina, Pentax, Canon Rebel...
Mas pera aí, vamos com calma! Tem que explorar devagar mesmo.
Estou amando fotografar com ela, e olhe só... fiz uma nova galeria no flickr! Amo compartilhar esses momentos com o pessoal e ver os dos outros também.




Curtiu? Tem mais lá na minha página!


Gente, com tudo isso, a mensagem que quero muito que vocês gravem em suas mentes é que, pra ser um fotógrafo, você não precisa ter uma câmera profissional, você pode fazer fotos com uma câmera de 2 Mega Pixels, contando que tenha uma mensagem a passar... a imprimir na mente e no coração dos seus expectadores, não há problema algum. Fotografia não é só auto-retrato, biquinho, etc.. fotografia é, sim, uma forma de expressão! Uma tela em branco, aonde o artista é você, pinte de forma que consiga transmitir seu sentimento para as outras pessoas. Isso é tão gratificante quanto uma foto bem trabalhada, tratada e regada de equipamentos e edições. Você deve ter noção disso toda vez que apertar o botão do obturador.

E vocês? Tem uma foto que lembre algum momento especial? Qual foi a foto mais criativa que já tiraram? Gostam de fotografia? Conta aí, vamos bater um papo? eu quero saber!

02 julho 2012

Bonito

Acho bonito como eles ficam deitadinhos como se estivessem olhando um céu estrelado quando na verdade estão debatendo a vida com carinho: O que fazer? Será que é certo?
Um tentando ajudar o outro, de repente vem uma ideia muito boba e começam a rir, rir muito, até rir com os olhos assim, bem apertadinhos.

Ela fica um pouco chateada quando ele brinca, mas ele faz de propósito, diz que é para ver a carinha de brava que deixa ele mais apaixonado ainda. Que sintonia! Não é aquela amizade que brilha no olho de só um deles, é aquele amor que incendeia o olhar dos dois. E é muito bom sentir isso.

Olha só que alegria é ver os estágios do dia deles, como se fosse uma sequencia de fotografias: Uma hora olhando para cima, outrora abraçando, uma hora rindo, outrora titubeando, uma hora se amando, outrora dormindo... e esse ciclo só acaba quando ele vai embora, porque eles ainda não estão juntos sempre, só algumas vezes.

Engraçado é saber que sempre sonhei em ter um amor tão bonito assim, e olha só, que coincidência, hoje eu vivo.

28 junho 2012

O ressurgimento

Nossa, há quanto tempo eu não venho aqui? Pode parecer pouco, mas pra mim é muito, sabe?

Eu acabei de chegar da casa de uma amiga mais que importante pra mim... E tá tudo bem, eu tô me sentindo bem, eu dei uma lida no meu blog e confesso que ri muito com os meus posts antigos, pq eu era muito engraçada, gente! Como pode?

Mas não acho que vale a pena excluir não, eu gosto de comparar o meu passado com o presente e ficar feliz sem reclamar de mim hoje, pq antes eu era pior. Eu estava falando disso com a Mona quase agora, na hora em que ela veio me deixar aqui em casa, é muito bom conversar com uma pessoa que diz 'Nossa, eu também acho' em praticamente TUDO o que você diz; Me sinto bem com pessoas assim. Ela me disse que aceita que teve uma grande mudança na vida dela, e é óbvio que teve... Não devemos nos condenar, até pq ninguém nasce já evoluído né? convenhamos!

Eu fico feliz em ver que hoje eu tenho o Leo, tenho amigos de contar nos dedos (e olha que não completa nem uma mão inteira), sempre fui seletiva; Aprendi a lidar com muitas coisas, ainda preciso mudar outras, e são maioria, mas que atire a primeira pedra aquela pessoa que nunca precisou mudar! Eu preciso, e ainda vou ter que mudar por muitas coisas, você sempre vai ver aquela foto antiga e vai dizer "Ugh, tô bem melhor agora!", vai ler aquele texto antigo e vai dizer "Nossa, me sinto bem melhor hoje!", pq literalmente somos uma metamorfose ambulante, e a solução é aceitar as mudanças, estar aberto (a) a elas.

Poxa, fiquei muito afastada dessa vida literária por motivos da vida mesmo: Estudar, trabalhar, namorar e acima de tudo ser feliz! Mas como a poeira abaixou, estou mais calma e com um pouco de tempo nessas férias para blogar. Vou dar uma volta na blogosfera esses dias (ou tentar).

27 fevereiro 2012

Momento retrô

E lá vem eu com os assuntos não literários no blog de novo...

Mas é que, eu amo tudo o que é retrô e vintage, mas existe uma grande diferença entre os dois.
Pesquisei sobre o tema na internet e achei uma definição muito boa em um site com vários conteúdos, inclusive lojinha on-line, e achei válido ressaltar aqui antes mesmo de citar meus tópicos, pois muitas pessoas ainda confundem o vintage com o retrô:

"Vamos entender o significado de vintage. O significado nada tem a ver com moda. É um nome dado a colheita de vinhos. A origem ou significado vem de vint relativo à safra de uvas e age de idade. Quanto mais velho melhor, saca?

O termo retrô (re-tro, e em inglês retro) significa para trás. Tá, você deve estar pensando que tudo está relativo ao velho, e qual é a diferença?
Vamos exemplificar: Imagine você indo ao brechó e dá de cara com uma maravilhosa peça (roupa, acessório, objeto de decoração) da idade da sua avó ou mais antiga ainda em perfeito estado. Isso é vintage! É algo antigo que fez sucesso em uma determinada época e que ainda vive... digamos assim. Já o Retrô seria um lançamento de algo influenciado por uma peça vintage, totalmente repaginados. Aqui não se trata unicamente de moda e bobagens fashions, mas é relativo a tudo.
Se vintage é você ir a um brechó e dar de cara com um fiel vestidinho anos 50, retrô é você ir no shopping e ver um relançamento de um vestidinho, no mesmo estilo daquele anos 50 lá do brechó.

Resumindo: O vintage é algo velho com cara de novo e o retrô é algo novo com cara de velho. Quem é vintage é retrô e quem é retrô é vintage."

Legal, né?

Essa semana eu revirei o armário da minha mãe, e achei umas coisas maravilhosas, vintage. Experimentei todas e praticamente fiz uma viagem nos anos 80.

Em relação á música, acho que a "regrinha do vintage/retrô" não se encaixa muito, pois, vejo pessoas ouvindo grandes hits da doce década (80) e dizendo: Oh meu Deus, isso é totalmente retrô.
Acredito que esse termo se encaixe mais em "retrospectiva" assim como sua definição, claramente falando. E é assim que venho me sentindo esses dias, com um ar de retrô, e, isso se refletiu até nos meus looks, no meu cabelo, e nas atualização da minha playlist, então, já que não sou por dentro da moda para postar fotos, e não sou a melhor em cuidar do meu cabelo, decidi compartilhar com vocês um pouco da minha playlist Retrô:



Prince - Beautiful Ones


Michael Jackson - We are here to change the World


Cindy Lauper - True Colors


New Edition - Cool it now


Billy Ocean - Get out of my dreams


Aha - Take on me


Billy Idol - Dancing with myself

Entre outras.. Essas são basicamente as que me fazem fortemente voltar ao tempo por alguns minutos.

E fica a minha dica!

15 fevereiro 2012

Doses Extragaláticas

Como sempre eu poderia voltar ao triunfo (re)inaugurando o lado literário do meu querido blog fazendo alguma crítica, uma reclamação, com algum devaneio do meu eu-lírico ou qualquer coisa do tipo... Mas, é que, descobri hoje que cresci: Eu aprendi a conter as palavras e beneficiar todos os lados existentes, e tudo o que leio por aí são apenas indiretas adolescentes, de adolescentes, para adolescentes.

Bem, eu sou uma adolescente sim, e ainda faltam alguns meses para deixar de ser, mas minhas necessidades são diferentes... Essa de abrir o guarda-roupa pela aurora e dizer - "Qual pele de cordeiro visto hoje?" - Sendo que sou Lobo, não é comigo, mesmo.

Eu já tive vários gostos, várias pérolas também, nunca fui perfeita (Aliás, quem é perfeito e tem um passado claríssimo, que atire a primeira ROCHA) porque todo mundo já teve seu tempo. Mas hoje em dia, eu venho tentando me focar em um só objetivo: Ser eu mesma, gostando de um pouco de tudo, sem me limitar a um padrão só e ficar menosprezando os outros, sem passar o dia todo me dedicando a frases de efeitos planejando a forma com que elas vão penetrar no consciente de alguém, lutando para ser alguém melhor, já que estamos vivendo em um mundo no qual não há muito o que fazer por todos, então que possamos fazer por nós e por nossos queridos, não é mesmo?

Faço coleção de ex-modelos de vida a seguir (pessoas próximas, distantes, íntimas ou não). Ex por quê, hoje, são modelos do que não devo fazer/quem não devo ser. E definitivamente, esse é um padrão que estabeleci permanentemente.


Bem, parei para pensar na minha vida hoje e vi que pra muita gente (poxa, eu já disse que odeio indiretas, e acho isso super pré histórico, sei que "muita gente" soa irônico, mas digo isso sinceramente mesmo) pra muita gente a vida é muito fácil de se lograr.

Me sinto tão responsável agora, comecei a trabalhar com dezesseis anos teoricamente, tenho dezessete e em pouco tempo vou ser técnica em Administração, daqui a alguns anos serei formada, mulher, mãe, feliz, com certeza enjoada de ver tantas fotos românticas com o meu marido e os meus filhos ostentando a Torre Eiffel, nas ruas de Paris afora, e escrevendo muitos textos sobre minhas tardes no Central Park, as noites em LAX. Hmmm, sonhar é bão!

Quero manter o meu pensamento totalmente focado no meu futuro, experimentem planejar o futuro de vocês também... Esquecer um pouco o mundo e as pessoas com que vocês tanto se importam e sentem necessidade de mostrar isso... começar hoje pode ser uma boa, não acha?


Minha volta aqui foi realmente triunfal, né? 01:14am, preciso muito dormir... Logo logo isso aqui vai mudar bastante, estou dando uma revisada nas coisas que já escrevi, e estou programando algo novo para o blog, que logo logo vai ser .com.br, eba!!

E é isso, estou dopada de tantas doses extragaláticas por hoje.

xx