28 junho 2012

O ressurgimento

Nossa, há quanto tempo eu não venho aqui? Pode parecer pouco, mas pra mim é muito, sabe?

Eu acabei de chegar da casa de uma amiga mais que importante pra mim... E tá tudo bem, eu tô me sentindo bem, eu dei uma lida no meu blog e confesso que ri muito com os meus posts antigos, pq eu era muito engraçada, gente! Como pode?

Mas não acho que vale a pena excluir não, eu gosto de comparar o meu passado com o presente e ficar feliz sem reclamar de mim hoje, pq antes eu era pior. Eu estava falando disso com a Mona quase agora, na hora em que ela veio me deixar aqui em casa, é muito bom conversar com uma pessoa que diz 'Nossa, eu também acho' em praticamente TUDO o que você diz; Me sinto bem com pessoas assim. Ela me disse que aceita que teve uma grande mudança na vida dela, e é óbvio que teve... Não devemos nos condenar, até pq ninguém nasce já evoluído né? convenhamos!

Eu fico feliz em ver que hoje eu tenho o Leo, tenho amigos de contar nos dedos (e olha que não completa nem uma mão inteira), sempre fui seletiva; Aprendi a lidar com muitas coisas, ainda preciso mudar outras, e são maioria, mas que atire a primeira pedra aquela pessoa que nunca precisou mudar! Eu preciso, e ainda vou ter que mudar por muitas coisas, você sempre vai ver aquela foto antiga e vai dizer "Ugh, tô bem melhor agora!", vai ler aquele texto antigo e vai dizer "Nossa, me sinto bem melhor hoje!", pq literalmente somos uma metamorfose ambulante, e a solução é aceitar as mudanças, estar aberto (a) a elas.

Poxa, fiquei muito afastada dessa vida literária por motivos da vida mesmo: Estudar, trabalhar, namorar e acima de tudo ser feliz! Mas como a poeira abaixou, estou mais calma e com um pouco de tempo nessas férias para blogar. Vou dar uma volta na blogosfera esses dias (ou tentar).