11 setembro 2016

Mentequemente mas tbm te fala a verdade.

Eu comecei mil vezes a escrever e apaguei mil vezes, eu não sei mais fazer isso, então vou deixar isso aqui pra lembrar que um dia eu já soube me expressar (dramaticamente). Sei lá, com o tempo a gente vai perdendo esse negocio de expor, fica tudo acumulado por dentro e então você explode.

Eu explodi, sabe? E agora eu tô aqui, tão sei lá. Eu tô na minha cama pensando que é uma merda quando você planeja toda a sua vida num papelzinho e então vai tudo por água abaixo, daí você só quer deixar acontecer. E então te dão a chance de você planejar a sua vida toda de novo e depois jogam por água abaixo, você planeja mais uma vez e então jogam você e os planos por água abaixo. Você se sente no fundo do poço, mas aí te perguntam lá de cima "tá bem?" e você diz: "tô" com ar de quem realmente está, mas na verdade... não. Eu não estava bem quando você perguntou se eu tava. Exatamente ali, na ponta da minha cama ~agora sem metáforas~, prestes a acabar com o restinho de mim.

Eu não te amo mais. Te amei muito e agradeço por tudo.
Mas é que eu não te amo mais.
Não te amo mais e é isso.

3x. A minha mente me lembra todos os dias que foram 3x e cada vez que o meu dia fica mais difícil, no trabalho, na faculdade, no que seja, as 3x ecoam e ecoam e eu me sinto como um saco de lixo enorme    no meio daquele tanto de gente. As 3x que me fizeram acreditar que eu apesar de tentar, nunca fui o suficiente e poderia tentar por mais 5 anos, eu nunca vou ser. Eu era feliz quando chegava o domingo e apesar de quase sempre atrasada, a minha alegria era subir aquela escada e ver o seu sorriso mesmo que ele não durasse muito e logo em seguida viesse uma bronca básica pelo horário. A maior alegria era no final do dia você me levar pro ponto de ônibus abraçado, falando qualquer coisa, te encontrar no ponto de ônibus da faculdade, receber uma mensagem sua dizendo 'eu te amo muito ab**es'..., ver você abrir mó sorrisão que até meio que fechava os olhos, as noites juntos no aperto da sua cama de solteiro, os passeios que não foram muitos, a intimidade que a gente conquistou ao longo do tempo. Hoje é só silêncio, talvez um pouco de raiva, mas é silêncio.

Ali, na outra ponta da cama, eu disse: "se você se arrepender, a resposta é não." E de fato, apesar de tudo o que eu disse, eu não posso dizer sim. E não vou. Mas eu escrevi isso pq sei que quando apertar, você vai procurar o mente que mente de alguma forma, se se importa você vai chegar aqui. Eu tive que me abster de você, totalmente, para poder viver em paz. Eu não sei como você está hoje, eu me desafiei a não saber, não procurar e de fato o faço. Concorda que as vezes são detalhes ridículos de pequenos que fazem lembrar qualquer coisa? Uma música, uma premiação que eu queria falar sobre com você, um problema do trabalho, uma novidade boa. Eu me abstive de contar as coisas para as pessoas, pq de fato, você foi a única pessoa pra quem eu fui eu mesma, com todos os meus defeitos. E espero que encontre alguém que te ame assim de novo, pq você vai conseguir! Eu desejo o mesmo a mim, e sinto que isso está perto... Eu só preciso me permitir, pois as vezes é difícil digerir que é diferente. Mas se eu não sair de dentro dessa bolha, eu vou me sufocar nela, pq nunca vamos dar certo.

Eu só queria que um dia você soubesse, se procurasse esse lugar pra ler algo novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário